Encontrada neta 117 sequestrada pela ditadura argentina

As Avós da Praça de Maio anunciaram nesta segunda-feira (31) que foi encontrada a neta 117, filha de desaparecidos políticos e sequestrada durante a última ditadura civil-militar argentina (1976-1983). Em entrevista coletiva, anunciaram que ela nasceu em março de 1978, quando sua mãe, Gladys Castro, estava presa em um dos centros clandestinos de detenção.

conf117_1

Seu pai, Walter Dominguez, foi preso junto de Gladys (grávida de seis meses), em 9 de dezembro de 1977, na cidade de Godoy Cruz, Mendoza. Militantes do Partido Comunista Revolucionário da Argentina, ambos são desaparecidos. A família nunca teve notícias do paradeiro da criança. Dominguez era motorista de ônibus e Gladys Castro trabalhava em uma padaria.

As duas avós da neta 117 estão vivas, mas o nome dela ainda não foi relevado publicamente. Ela é a primeira filha de desaparecidos políticos sequestrada a ter sua identidade descoberta em 2015. Em 2014, as Avós encontraram Guido (114), neto da presidenta da associação, Estela de Carlotto, e Ana Libertad (115), neta de outra avó fundadora, Alicia Zubasnabar de la Cuadra, que já faleceu. O neto 116 não revelou seu nome publicamente, mas fez o exame de DNA após procurar a associação por saber que fora adotado ilegalmente.

Veja também: Um encontro que esperou 36 anos

Estima-se que pelo menos 500 crianças tenham sido roubadas durante a ditadura, filhos de mortos e desaparecidos. As associações das Avós e das Mães da Praça de Maio começam a surgir em 1977, quando um grupo de mulheres procurava por seus filhos e netos desaparecidos.