Facebook na Argentina oferece 54 opções de identidade de gênero

Pela primeira vez na América Latina, o Facebook disponibilizou a opção “gênero personalizado”, permitindo ao usuário escolher entre 54 alternativas.

As categorias foram elaboradas por organizações que militam pela diversidade sexual na Argentina.

“Não é por acaso que a Argentina é o primeiro país da América Latina a ter a opção de gênero personalizado na rede social Facebook. Este passo adiante tem a ver com muitas outras coisas que aconteceram e que têm relação com a diversidade e a inclusão”, comemorou Cesar Cigiuti, presidente da CHA, durante o ato de lançamento da nova plataforma do Facebook.

A primeira mulher Trans a mudar o gênero no Facebook foi Marcela Romero, Presidenta da Attta (Associação Travestis Transexuais e Transgêneros da Argentina)/Crédito: Facebook

A primeira mulher Trans a mudar o gênero no Facebook foi Marcela Romero/Crédito: Facebook

Agora já é possível escolher entre “Deseje a ela um feliz aniversário”, “Deseje a ele um feliz aniversário” ou a opção neutra “Deseje um feliz aniversário”.

“Trans”, “torta”, “trans femenino”, “trans masculino”, “transgénero”, “transexual”, “transgénero femenina”, “transgénero masculino”, “trava” e “travesti” são dez das opções possíveis quando o usuário escolher a letra ‘T’ no item “sexo”, que possui agora três alternativas: “personalizado”, “hombre” e “mujer”. Clicando na letra ‘G’, aparecem os termos “gay”, “andrógino”, “andrógina”, entre outros. Com ‘P’, as identidades possíveis são “poliamoroso”, “poliamorosa”, “poliamorosx”, “puto”, “pansexual hombre” e “pansexual mujer”.

Nos Estados Unidos, no Reino Unido e na Espanha já havia opções personalizadas.

Claudia Castrosín, vice-presidenta da Federación de Lesbianas, Gays, Bisexuales, Trans (FLGBT), disse que “existem muitas identidades, mas na verdade são infinitas. Como são infinitas, seguramente não poderemos contemplar todas elas porque em matéria de identidade, cada um se define como quer e como se sente. Mas este é um grande passo rumo à inclusão”.

  • Mauro

    Legal! Tem petralha?

  • Mauro

    A autora do texto escolheria qual?

    • Victor Farinelli

      Acho que é direito dela escolher a que ela quiser, tanto quanto é dever nosso simplesmente respeitar essa liberdade, não? Ou você não acredita na liberdade?

  • Lenir Vicente

    Vejo com naturalidade a inovação. Isso teria que acontecer mais dia , menos dia. Falta o Facebook dar aos brasileiros as mesmas opções. Viva a diferença!

  • diogo

    Nada a ver. Gênero é H e M, o resto é invenção !

    • Julia

      Errado. Isso que você disse eh sexo biológico. Vc nasce homem ou mulher mas pode ter o gênero que quiser.

    • Caio Borrillo

      Falou o homem branco cis hetero religioso oprimido.

    • Ronan

      Gênero ser H ou M é coisa de pensamento de gente cis, igual você. Pessoas como você que propagam a heteronormatividade e homofobia no mundo.

  • Fernando

    Isso já é imbecilidade, passou dos limites

    • Caio Borrillo

      Pra você que consegue se identificar com seu gênero deve ser mesmo, mas para quem não se identifica, não ter uma opção em uma rede social é sim uma forma de opressão.

      Se não sabe do que está falando, não fale.

      • Fernando

        Com todo o respeito, então me diga o que significa puto e poliamorosx, por exemplo.

        • Victor Farinelli

          Com todo o respeito, Fernando – é um debate de ideias, e é pra lá que eu vou. Independente do que significa “puto” ou “poliamorosx”, a pessoa que se considera assim não deveria ter a liberdade para tal? Assim como você tem a sua, e acho que você concordará que devamos ter todos a mesma liberdade. Não era um dos argumentos do capitalismo contra o comunismo, que na União Soviética só se podia escolher entre camisetas de dois tipos, e que agora com o livre mercado existem milhares de opções? Por que então as pessoas podem ter tantas opções de camisetas pra comprar, mas precisam se enquadrar em apenas dois tipos de identidade sexual?

      • Opressão? Opressão é ter uma presidente milionária e corrupta, um governador corrupto (Alckmin) e um prefeito incompetente (Haddadg enquanto o povo tem serviços púbicos da pior qualidade possível.

        O resto é frescura, tanto faz o que tem e o que não tem em uma rede social, isso não é produtivo e nem importante para o bem comum.

  • William

    Como dizia meu avô: Esse negócio de gay, entendido, transexual, invertido, transgênero, baitola, boiola, lésbica, sapatão, gilete, biba, travesti, é tudo coisa de veado!!

    • Fernando

      Willian, seu avô citou 13 exemplos …no mínimo ele deve ser o ” entendido” .

  • Engrácia

    Quando escuto tanta falta de respeito, penso estar na idade média, em plena inquisição, onde pessoas eram mortas e presas por terem ideias e sentimentos diferentes do que a igreja pregava e a burguesia defendia como legítimos direitos. Imagino essas mesmas pessoas que não conseguem compreender que somos seres diversos e que temos coragem de dizer de nossa diversidade, seriam as mesmas que queimaram, principalmente, as mulheres que tinham sede de liberdade, opinião e vontade.