Nos ovos sujos de Yoani Sánchez, a afonia da dissidência cubana

Há dois meses, quase em simultâneo com a realização da Cúpula das Américas do Panamá, a famosa blogueira cubana Yoani Sánchez esteve no Chile. Diferente de sua primeira visita ao sul da cordilheira, esta última teve pouquíssima transcendência midiática, mesmo os meios chilenos não deram mais que pequenas notas sobre sua passagem pelo país. Um episódio que relata com eloquência o afonismo da dissidência cubana com a diminuição paulatina de sua presença midiática.

Em abril, o twitter de Yoani Sánchez falava de ovos sujos nos mercados em Havana. Suas críticas se reduziram a isso.

Depois do acordo, no final de 2014, o twitter de Yoani Sánchez passou a falar de ovos sujos nos mercados em Havana. Suas críticas se reduziram a isso.

Yoani Sánchez é um símbolo mundial do anticastrismo. Se destacou por seu afã de criticar o governo e denunciar perseguições contra si mesma, através dos blogs, twitter e do espaço que ganhou em meios da grande imprensa latinoamericana fora de Cuba.

Nos últimos dois meses, a que foi ídola de boa da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa, que reúne os donos de jornais do continente, todos de direita) resignou sua vida jornalística à críticas cotidianas e a divulgação de notícias já conhecidas. Algumas de suas denúncias mais recentes são tão vazias como a de que “os ovos em Cuba estão chegando ao mercado mais sujos”.

Além disso, a interação de seus seguidores nas redes sociais tem sido visivelmente menos frequente, outro indicador dos novos tempos.

Mas a blogueira também falou sobre o acordo entre os dois países, e positivamente. Nos tópicos em que abordou o tema, ela valorizou os acordos alcançados até agora, assim como outras notícias de interesse internacional sobre Cuba: os profissionais de saúde cubanos enviados à África e ao Nepal, o aumento do turismo na ilha durante o primeiro semestre de 2015, a reabertura do serviço de balsas entre a Flórida e Havana, a licença dada a um hospital novaiorquino para realizar um protocolo clínico com a vacina cubana contra o câncer de pulmão, o jogo Cosmos contra a Seleção Cubana de futebol, e a visita que o Papa Francisco fará em setembro.

As Damas de Blanco e a derrota eleitoral

Já as Damas de Blanco, grupo de oposição formado em 2003, e que durante anos viveu de pedir a liberdade de seus familiares – “presos políticos” segundo elas, e “delinquentes comuns” segundo a versão oficial –, é hoje uma das organizações mais críticas à normalização das relações entre Cuba e os Estados Unidos. Também é a que tem menos repercussão jornalística. Sua última aparição na imprensa foi em abril passado, e mesmo seu sítio web tem visto poucas atualizações. Antes disso o grupo sofreu divisões internas surgidas após a libertação total dos “presos políticos” pelos quais elas lutavam.

Enquanto se produzia a “desaparição” midiática das Damas de Blanco, dois dissidentes cubanos, Hildebrando Chaviano e Yuniel López, concorreram nas eleições municipais do país, em março, perderam e reconheceram sua derrota, anunciando que “a população não está preparada, ainda há muita ignorância”, segundo afirmou Chaviano.

Obama e a dissidência

Durante o último ano, os governos de Cuba e dos Estados Unidos mantiveram um diálogo discreto, cujos resultados só se conheceram há poucos meses, com gestos que propiciaram a retomada do diálogo entre as nações e o início de uma relação bilateral anulada desde o triunfo de la revolução cubana, em 1959.

As Damas de Blanco, outrora protagonistas de grandes reportagens, hoje presentes em pequenas notas de canto de página. Em abril, uma das últimas.

As Damas de Blanco, outrora protagonistas de grandes reportagens, hoje presentes em pequenas notas de canto de página. Em abril, uma das últimas publicadas.

Na semana passada, um fato de grande importância marcou um passo a mais na relação entre os dois países: a exclusão de Cuba da lista de países patrocinadores do terrorismo, “lista negra” na que a nação caribenha esteve incluída desde 1982.

Durante a Cúpula das Américas, em abril passado, antes do histórico encontro com Raúl Castro (o primeiro entre presidentes dos dois países em meio século), Barack Obama, se reuniu com um grupo de dissidentes que foram ao Panamá.

A oposição cubana vê a aproximação com receio e surgiram divisões.

Alguns grupos consideram que os Estados Unidos os abandonaram politicamente. Para outros, a abertura é o caminho para um maior intercâmbio que mude o futuro político da ilha.

Seja como for, essa mesma dissidência cubana, há menos de um ano atrás, enchia as páginas dos diários de todo o mundo, e hoje não aparece em nenhuma parte.

Tanto os cubanos quando o resto do mundo esperam com ansiedade os novos capítulos diplomáticos. Será preciso esperar que o fim do embargo seja discutido no Congresso estadunidense, única instância com poder de derrubar aquilo que vem encurralando economicamente a maior das antilhas, e impedindo sua normal relação comercial com o mercado internacional, desde 1960.

  • Tanta energia do autor para desacreditar a oposição cubana, e nenhuma crítica à manutenção pelo governo do mesmo regime autocrático que governa a ilha há tantos anos, com uma ou outra aberturazinha econômica pra não dizer que nada está mudando.

    Triste do jornalismo que se dedica a puxar o saco de governos.

    • Zenio Silva

      Tanta energia gasta para, ao fim e ao cabo, gerar apenas calor!!!!!

  • Ricardo Staack

    Quem não deseja o fim do vergonhosos embargo econômico, financeiro e comercial, imposto aos cubanos pelos EUA e seus aliados que foram forçados à isso, é a comunidade cubana que vive em Miami, que sempre viveu dessa boquinha. Essa blogueira, quando veio ao Brasil, bajulada e financiada pelos coxinhas do PSDB, Aécio Never, Ronaldo Caiado, Aloysio trezentinhos, FHC e outros luminares do entreguismo, ficou patética com essa reclamação contra os ovos. Em Cuba não há crianças abandonadas dormindo com fome nas ruas. Isso a direita bem representada pela SIP sociedade interamericana de imprensa, não vê com “bons olhos”, para esses coxinhas, quanto pior para o pobre, melhor para os ricos ajudados pela imprensa venal, para dar golpes fascistas.

    • Leones Tome

      Defendendo ditadura? não se envergonha não? ditadura nem de esquerda e nem de direita. Como pode admirar um regime deste? que não permite nada ao seu povo. Ah sim, lá tem eleição todo ano; você pode votar sim e não, sim prá ficar e não pra não sair.

      • Ricardo Staack

        Defendendo o povo cubano.

        • soniam queiroz

          Não, provado está aqui que você defende a ditadura castrista, pois és extrema esquerda.E se pedes pelo fim do bloqueio imposto democracia americana como forma de acabar com a ditadura de Fidel, é porque isto fortalecerá mais ainda a ditadura comunista, que a cinquenta anos escraviza e empobrece os cubanos.Quem é pelos cubanos é contra a ditadura castrista.

    • kerwson lisi

      Eu nao desejo que termine o bloqueio!….O que tem que terminar em Cuba eh a ditadura comunista de Fidel Castro.Cuba tem relaccao diplomaticas com 184 paises e vive a chorar pela falta dos EUA, pq nao existe socialista sem um capitalista que pague a conta.O bloqueio deve continuar ateh povo cubano ter direito a viver numa democracia.Morte a Fidel e Raul e esquerda nem para guardar o Braulio.

      • Ricardo Staack

        Seu problema é ser da extrema direita. Os meios cubanos de direita não estão contentes, pois esperavam utilizar
        a “ameaça cubana” e o “ódio aos comunistas cubanos” como argumento na
        próxima campanha eleitoral contra os democratas. Entretanto, a blogueira
        cubana Yoani Sánchez já deu seu apoio por um twieter enviado aos seus
        seguidores “Uma era termina e espero que esta nova era que começa seja a do protagonismo da sociedade civil”.
        Posição contrária tem o senador Marco Rubio, de origem cubana decidido a
        obter a candidatura republicana para a presidência, segundo ele o
        Congresso americano fará tudo para impedir a aprovação da nova política
        americana de Obama junto a Cuba.

        • soniam queiroz

          Não acho que Kerwson Lisi seja de extrema direita, vc certamente é de extrema esquerda, pq defender cinquenta anos de ditadura comunista com mais de cem mil mortes é vergonhoso.

          • Ricardo Staack

            “Eu não desejo que termine o bloqueio!..” .Disse o Kerwson Lisi, portanto ele está na contra mão da maioria do povo cubano que quer o fim do vergonhosos embargo, Yoannes inclusive, Obama quer o fim do embargo, o Papa Francisco quer o fim do embargo, o mundo civilizado está contra o vergonhoso embargo, o Brasil quer o fim do embargo também, mas o Lisi está em consonância com os republicanos racistas, e com a comunidade de cubanos de Miami, que sempre viveu dessa boquinha.

            • soniam queiroz

              O mundo civilizado também é contra ditadura comunista que você parece apoiar.O que tem que acabar em Cuba é o regime de Fidel que é o que causa todo mau social, se resolva isto e o resto se concilia facilmente.Todos pelo fim da ditadura castrista, menos você, claro!

          • Ricardo Staack

            Aliás soniam, em Miami também há comunidade de venezuelanos, que vivem da boquinha de combater o bolivarianismo, assim como há também comunidade de brasileiros “revoltados on-line”, doidos para lamber a bota suja dos gringos malandros, mas que forram eles com verdinhas. Vergonha.

            • soniam queiroz

              Viu só como você é extrema esquerda.Não misture o povo americano co o governo americano.O povo quer ser feliz e livre, o governo manipular, são coisas diferentes.Vê aqui no nosso país, a esquerda nos rouba e nos faliu, o povo não apoia Dilma mais ela se mantem no jogo sujo por apoio de pessoas iguais a ela.

          • Ricardo Staack

            “””Voto em qualquer um que não seja da esquerda, assim votaria com prazer
            Bolsonaro presidente.Chega de comunista ladrão, ESQUERDA NEM PARA
            GUARDAR O BRÁULIO.””” Kerwson Lisi é bolsonarete. Fascistinha da hora.

          • Ricardo Staack

            Extrema direita realmente não é, me expressei mal, mas fascista com certeza é, ou ignora a história COMPLETAMENTE.

      • Ricardo Staack
      • Ricardo Staack
  • Cláudio Luiz Pessuti Pessuti

    A “perseguida” blogueira cubana, que critica o governo “ditatorial e sanguinário dos irmãos Castro”….DENTRO DE CUBA! Acho que é preciso ser completamente idiota para não perceber o total absurdo de tal “denúncia”. Com isso estou dizendo que “CUBA É UMA MARAVILHA”? Claro que não, mas quem não pode denunciar o país e continuar no país é o Edward Snowden….estadunidense….

  • Daniel Machado Dacol

    Quantos anos os Castro estão no poder? Hummmm perdeu a conta?

  • Gabriel Rodrigues

    O governo castrista é simplesmente indefensável, visto que o Partido Comunista de Cuba é uma antítese à qualquer concepção de democracia. É lamentável que esse fato tão óbvio tenha ficado abafado pela mídia brasileira devido a reaproximação diplomática de cuba com os estudos unidos.

  • kerwson lisi

    Como é possível alguém defender uma ditadura de 50 anos que controla tudo e segrega o povo a pobreza apenas para se eternizar roubando.E ainda fica falando da mídia do nosso país se lá tudo é censurado e controlado….hipócritas!

  • Ricardo Staack

    Acabar com o PT, com os irmãos Castro, é coisa de fascista. ===> http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FPolitica%2FA-atualidade-brutal-de-Hannah-Arendt%2F4%2F34668

    • soniam queiroz

      Não!!! É e coisa de libertário democrata, facista é você que defende uma ditadura e a quadrilha do PT.