Soda Stereo: quatro anos sem os reis do rock latino

Muitos brasileiros nunca ouviram falar em Soda Stereo, o que faz o nosso país ignorar, por tabela, uma angústia que toda a América Latina sofre há exatos quatro anos.

Gustavo Cerati, em foto promocional da sua última turnê como solista, durante a qual sofreu um AVC.

Gustavo Cerati, em foto promocional da sua última turnê como solista, na qual sofreu um AVC durante um show.

No dia 17 de maio de 2010, durante um show de sua turnê como solista, num estádio em Caracas, o famoso cantor e compositor argentino Gustavo Cerati sofreu um acidente vascular cerebral. Segundo os médicos, a conta a ser paga por décadas de vício irracional ao cigarro, de quem chegava a fumar mais de vinte caixas diárias. Desde então, o músico se encontra em coma profundo, quase impossível de reverter, devido aos danos cerebrais que o AVC teria causado.

Os fãs mantém viva a esperança e planejam mais uma romaria às portas da Clínica Alcla no aniversário de um dia triste, que poderia ser o último capítulo de uma história tão exitosa quanto pitoresca.

Em meados de 1982, Gustavo Cerati era um jovem da assustada classe média de Buenos Aires, que tocava guitarra e curtia David Bowie, Queen, The Cure, entre outras bandas, enquanto os pais sofriam com a crise econômica e os ex-colegas de escola morriam nas Ilhas Malvinas. Um dia, sua irmã reclamara de um tal Charly Alberti, que lhe enchia muito o saco com ligações diárias e pedidos para sair. Gustavo decide atender um dos telefonemas e enquadrar o sujeito, mas na conversa descobre que o chato era baterista. Começam a falar sobre música, e do sonho comum de formar uma banda.

Descobriram que ambos eram amigos de outro garoto que alimentava o mesmo sonho, Zeta Bosio. Em questão de dias, se reuniu pela primeira vez o trio Los Estereo Tipos, nome original que durou alguns meses.

Zeta Bosio, Gustavo Cerati e Charly Alberti. Soda Stereo dominou o cenário rock latino nos Anos 80 e 90.

Zeta Bosio, Gustavo Cerati e Charly Alberti. Soda Stereo dominou o cenário rock latino durante os Anos 80 e 90.

Logo, se tornaram o Soda Stereo e começaram a compor um repertório com letras que mesclavam ironia juvenil (Mi Novia Tiene Bíceps ou ¿Por Qué No Puedo Ser del Jet Set?) e referências à angústia de uma sociedade impactada por uma ditadura em declínio e pela derrota argentina na guerra contra os ingleses – Un Misíl en mi Placard, (“um míssil no meu armário”), um dos primeiros sucessos da banda, chegou às lojas enquanto os jovens argentinos feridos ou mutilados em combate voltavam para casa.

A partir do gigantesco sucesso do segundo álbum Nada Personal (1985), o Soda Stereo se estabeleceu como o maior nome daquela geração de roqueiros argentinos, algo que foi potenciado por Cerati e Bosio, formados em publicidade e ávidos por usar esse conhecimento para promover a banda além fronteiras, com estratégias próprias.

Com um logotipo na camiseta e campanhas promocionais de sucesso, o Soda Stereo efetivamente conquistou toda a América Latina na segunda metade dos Anos 80. Apesar do idioma espanhol em comum, não era tão fácil alcançar o sucesso fora do seu país de origem em épocas anteriores à globalização.

soda logo

Também foram a primeira banda latina a triunfar nos Estados Unidos – ainda que para o público hispano –, Espanha e Portugal. Para isso, colaborou muito o rumo que tomou a banda nos Anos 90, com canções que falam de amor e sexo fetichista, como a provocante Persiana Americana (“suas roupas caem lentamente, sou um espião, um espectador, e o ventilador te enlouquecendo de calor, sei que você se excita ao pensar até onde eu chegarei”), e outras mais vibrantes, como De Música Ligera, a que se tornou o hino definitivo da banda – e quebrando a barreira do idioma para se transformar na canção rock argentina mais conhecida no Brasil, embora indiretamente, em versões gravadas pelos Paralamas do Sucesso (De Música Ligeira – 1996) e Capital Inicial (À Sua Maneira – 2002).

Dez anos após dos frustrados xavecos de Charly para a irmã de Cerati, o trio desfrutava um resultado comercial espantoso. Era a banda que mais vendia discos na Argentina, Uruguay, Chile, Peru, Colômbia, Venezuela, México e Panamá.

Em 1994, começou a fase dos concertos multitudinários, o primeiro realizado na Avenida 9 de Julio (a Paulista de Buenos Aires, embora muito mais larga), para mais de 300 mil pessoas. Números que se equiparavam aos das grandes bandas internacionais, e que rendeu exageradas teorias elogiosas por parte da revista Rolling Stone: “se Soda Stereo cantasse em inglês poderia reproduzir no resto do mundo a euforia que causa no universo latino? Se o fizesse, poderia se comparar ou até tentar superar os Beatles? Quiçá um dia tenhamos essas respostas”.

Espetáculos multitudinários tornaram a banda o grande referente do rock latino em todos os tempos.

Espetáculos multitudinários tornaram a banda o grande referente do rock latino-americano em todos os tempos.

Mas os argentinos preferiram não responder a esse desafio e a nenhum outro. Ao final de 1996, lançaram sua turnê de despedida, Gracias Totales, onde bateram todos os recordes de público – superando as 500 mil pessoas em alguns espetáculos –, os que só seriam igualados dez anos depois, novamente por eles, na única turnê de reencontro que fizeram (Me Verás Volver, em 2007), quando conseguiram esgotar a venda de entradas de um show no Chile em menos de 24 horas – antes disso, Robbie Williams teve suas entradas esgotadas em cinco dias, uma façanha que não pode ser igualada, posteriormente, por Madonna, U2 ou Paul McCartney, entre outros.

Retorno com sucesso algo inesperado, já que os números de Cerati com sua bem sucedida carreira solo não se comparam com os melhores momentos da banda, e porque o reencontro sequer foi acompanhado de um álbum nostalgia (no ano seguinte, lançaram um album ao vivo da turnê), embora tenha servido para que muitos sonhassem com uma volta definitiva da banda. Muitos boatos surgiram nesse sentido, entre 2009 e 2010, até o fatídico show de Caracas, quando o cérebro da banda colapsou, literalmente.

O Soda Stereo foi, sem dúvida, o maior fenômeno da história do rock em espanhol em todos os tempos. Hoje, Cerati vive um coma que parece não ter fim, como não tem fim a esperança dos fãs em vê-lo despertar. De qualquer forma, os anos de glória do trio argentino soam como aquelas lembranças de um grande e intenso amor do passado, do qual nada nos livra, do qual nada mais resta.

 

Soda Stereo 1

Anos de Ruido Blanco soando por toda a cidade de Buenos Aires

Discografia oficial:

 

Anos 80

Soda Stereo (1984)
Nada Personal (1985)
Signos (1986)
Ruido Blanco (1987) – ao vivo
Doble Vida (1988)

 

¿Los Veremos Volver?

¿Los Veremos Volver?

Anos 90

Canción Animal (1990)
Dynamo (1992)
Zona de Promesas (1993) – seleção de sucessos
Sueño Stereo (1995)
Música para Volar (1996) – ao vivo, acústico
Chau Soda (1997) – seleção de sucessos
El Último Concierto (1997) – ao vivo

 

Anos 2000

Me Verás Volver (2008) – ao vivo

 

 

 

  • Paulo Cesar

    Mas quem é da fronteira conhece Soda Stereo. Uruguaiana-RS/ Paso de Los Libres-COR (ARG)

    • Valdo Balbinot

      Para todos que gostam de rock/pop en castellano.

      Anotem:
      ZOÉ (mecicanos) são seus sucessores. Discos recomendados “Música de Fondo” e “Reptilectric”.
      São FABULOSOS !!!;
      LIBIDO, peruanos, excepcionais, principalmente na primeira fase. Discos “Libido”, “Hembra”, “Pop Porn” e “Libido Acústica”. Terão a mais agradável surpresa;
      PATRICIO REY Y SUS REDONDITOS DE RICOTA, argentinos, não existe mais e possui uma legião interminável de fãs. Rock forte, com mistura de sax/guitarras bastante interessante;
      LA OREJA DE VAN GOGH, espanhois, principalmente nos tempos da cantora Amaia Montero. Discos recomendados: “Díle al Sol”, “El Viaje de Copperport”, “Lo que te Conté Mientras te Hacías la Dormida” e “Guapa”. depois, com a nova cantora, um que recomendo é “A las Cinco en el Astoria”.

      Confiram que eu GARANTO !!!

      • Daniel

        Valdo,

        valeu pelas indicações! Há algum tempo parei de garimpar coisas, ler revistas pra descobrir bandas e não sendo da geração de algumas bandas, só procurando mesmo ou tendo bons amigos que apliquem coisas. Um comentário seu abaixo me lembrou uma vez em que estava no Peru, tava a fim de descobrir coisas locais e vi a galera vibrando no bar com algumas músicas… a cada música eu perguntava de que banda, me respondiam… essa é argentina, aquela é mexicana… foi a primeira vez que me dei conta de um mundo que a gente só tem acesso se for atrás mesmo. Em viagens, sempre procuro por bares com bandas locais e independentes. Estou morando na França e tenho me incomodado com as novas bandas daqui que só cantam em inglês. É estranho, pois os franceses sempre foram grandes defensores de sua língua. E nessa história é a musicalidade que sai perdendo. Deixo aqui a indicação de três bandas francesas das antigas de que gosto muito: NOIR DÉSIR, LES RITA MITSOUKO e TÉLÉPHONE.

        • Valdo Balbinot

          Daniel, faz anos que prospecto, junto com uma amiga, pop/rock en castellano. Um trabalhão indescritível, baixando canções, analisado, formando coletâneas. Não tivéssemos feito isso morreríamos sem conhecer centenas de músicas maravilhosas.
          Seguem outras recomendações para ti:
          JULIETA VENEGAS, mexicana (está à conquista do Mundo),
          MANÁ, mexicanos tb, tu deve conhecer é a latina que mais vendeu discos no mundo, mais de 20 milhões,
          EL CUARTETO DE NOS, uruguaia, está fazendo o maior sucesso nas Américas,
          MECANO, espanhola, das décadas de 80-90, a ‘maior banda daquelas bandas’,
          HOMBRES G, espanhola, sucedeu o Mecano na fábrica de sucessos,
          SUI GÉNERIS, argentinos, 1ª banda de Charly García, excelente !!!,
          SERÚ GIRÁN, argentinos, 3ª banda de Charly, apodados de ‘Los Beatles Criollos’ tamanho foi seu sucesso e o próprio CHARLY GARCÍA, em carreira-solo, que também deves conhecer, por sua fama internacional.

          • Valdo Balbinot

            Esqueci de uma, composta por um Brasileiro, um portorriquenho e um colombiano, chamada BACILOS, sediada em Miami. Se separaram, e parece que estão de volta. Muito bons também.

      • Recomendo:
        El Columpio Asesino (España)
        Babasonicos (Argentina)
        Love of Lesbian (España)
        Hello Seahorse(México)
        Satan Dealers(Argentina)

  • Alvaro

    Essas bandas coxinhas e o rock nacional tiveram uma influência ENORME desses caras, chegando a traduzir ou então modificar uma palavra ou outra. Lógico que não irão admitir. Fica melhor falar que suas referencias são as bandas como The Who, Beatles, Velvet Underground, Bob Dylan…Os “grandes” roqueiros brasileiros são incapazes de nomear ou reconhecer a importância do rock latino.

    • Shidarta

      Aliás, caro Álvaro, é velha cultura do “se fala inglês é tudo de bom”.Isso é da própria cultura do povo brasileiro que a “elite pensante” do rock brasileiro(alguns críticos,puxa-sacos, produtores e jornalistas em geral) criaram. Esse “dar as costas” para o resto da América espanhola tratando-os como índios, selvagens.Só quem é de fronteira conhece as coisas boas que os Argentinos, Uruguayos produzem.Por exemplo: são poucos que conhecem a banda uruguaya Vela Puerca.É só um exemplo prá não me estender.

      • Valdo Balbinot

        E o “El Cuarteto de Nos”, sucesso por toda a América atualmente?

        • Eduardo Vicente

          Essa banda é fantástica! Conheci a pouco tempo e estou adorando!

      • Valdo Balbinot

        Para todos que gostam de rock/pop en castellano.

        Anotem:
        ZOÉ (mecicanos) são seus sucessores. Discos recomendados “Música de Fondo” e “Reptilectric”.
        São FABULOSOS !!!;
        LIBIDO, peruanos, excepcionais, principalmente na primeira fase. Discos “Libido”, “Hembra”, “Pop Porn” e “Libido Acústica”. Terão a mais agradável surpresa;
        PATRICIO REY Y SUS REDONDITOS DE RICOTA, argentinos, não existe mais e possui uma legião interminável de fãs. Rock forte, com mistura de sax/guitarras bastante interessante;
        LA OREJA DE VAN GOGH, espanhois, principalmente nos tempos da cantora Amaia Montero. Discos recomendados: “Díle al Sol”, “El Viaje de Copperport”, “Lo que te Conté Mientras te Hacías la Dormida” e “Guapa”. Depois, com a nova cantora, um que recomendo é “A las Cinco en el Astoria”.

        Confiram que eu GARANTO !!!

      • telman

        Êste bando de babacas só escuta as bandinhas de Planeta Atlântida e não escuta à um La Vieja Puerca ou Los Bunkers por exemplo.
        Latino América têm excelentes bandas , que aqui são ignoradas. Infelizmente um festival como o MTV-Tordesilhas ficou em sua 1ª edição.
        Ótimo seria o dia em que poderíamos escutar no Brasil à Victor Jara , Leon Giecco , Silvio Rodriguez , Santiago Feliú , Andres Calamaro e tantos outros latinos.

    • telman

      Aqui tirando o Paralamas e Legião , são só bandinhas de Planeta Atlântida.

    • Valdo Balbinot

      Para todos que gostam de rock/pop en castellano.

      Anotem:
      ZOÉ (mexicanos) são seus sucessores. Discos recomendados “Música de Fondo” e “Reptilectric”.
      São FABULOSOS !!!;
      LIBIDO, peruanos, excepcionais, principalmente na primeira fase. Discos “Libido”, “Hembra”, “Pop Porn” e “Libido Acústica”. Terão a mais agradável surpresa;
      PATRICIO REY Y SUS REDONDITOS DE RICOTA, argentinos, não existe mais e possui uma legião interminável de fãs. Rock forte, com mistura de sax/guitarras bastante interessante;
      LA OREJA DE VAN GOGH, espanhois, principalmente nos tempos da cantora Amaia Montero. Discos recomendados: “Díle al Sol”, “El Viaje de Copperport”, “Lo que te Conté Mientras te Hacías la Dormida” e “Guapa”. depois, com a nova cantora, um que recomendo é “A las Cinco en el Astoria”.

      Confiram que eu GARANTO !!!

  • felipe

    São bons, mas prefiro legiao e paralamas que seguem a mesma linha.

    • Valdo Balbinot

      Infelizmente, na minha opinião, não chegam aos pés. São muito boas, claro, mas jamais atingiram uma dimensão internacional como o SODA. E com Cerati então… não dá para comparar. Reitero, não estou desmerecendo as duas ótimas bandas brasileiras que citaste. Adoro eles tb.

      • Amaro

        Você mencionou “dimensão internacional”, mas ao comparar com Legião e Paralamas você deveria levar em consideração que o espanhol é o terceiro idioma mais falado no mundo. Sem querer entrar no méridto dizendo que uma ou outra “não chega aos pés” há de se reconhecer que se espanhol fosse nosso idioma certamente centenas de bandas brasileiras teriam conquistado a América Latina, chegando também a outros continentes.

        • Valdo Balbinot

          Quando a música é realmente boa, supera barreiras como a da língua. Não ouvimos todos, dia após dia e ano após ano em nossas vidas o inglês, que 90% da população não entende? Sim, é colonialismo e somos ‘macacos’ também por isso – os argentinos assim nos chamam prq imitamos tudo dos americanos – o problema é que as canções e bandas espanholas NÃO CHEGAM até aqui, ao contrário de todo LIXO norteamericano. Paralamas foi o maior sucesso na Argentina e em alguns poucos países da América. Qual foi o problema? esse, a distribuição e divulgação, sufocadas pelas gravadoras multinacionais.

          • Carlos Duarte

            bicho, vc tá errado, é impossível pra uma banda que canta em portugues poder tocar em paises de fala espanhola, se vc “pensa” diferente, então porque vc não montou uma banda e ficou famoso no mexico? hahaha tu ta de brincadeira comigo.
            O soda stereo não tem dimensão internacional, é só milonga de argentino, só porque há 20 anos tocou um pouco em alguns paises de lingua espanhola não significa que sejam “internacionais”. Internacional?? hahaha INTERNAICONAL É JÚLIO IGLESIAS!

      • Pipoca Bauer

        Sem esquecer que vários hits brasileiros são versões de rocks argentinos … além do já mencionado “À sua maneira”, destaco também a “lourinha bombril”, versão de “parate y mira” de los pericos, “mulher de fases” dos Raimundos (não lembro qual é a música original)
        Gosto muito de música e é realmente uma pena q só se conhece sons em espanhol quando se vai atrás … viajando pela América do Sul descobri sons q agora amo, Andres Calamaro, Bersuit, Los Piojos, Fabulosos Cadillacs … fica aí a dica destes pra quem curte descobrir sons novos.

        • Lazaro

          Mulher de Fases não é versão, é a original, foi uma banda argentina que fez a versão.

  • Elcio Rezek

    Sou brasileiro, mas conheço sim, Soda Stereo, El Tri, Heroes Del Silencio, Enanitos Verdes e muitos outros mais que não dá para clocar aqui. Desculpem, mas o Brasil não produziu o que essas bandas produziram. Essa geração que está ai nem se quer sabe da existência desses caras, pobre geração.

    • Valdo Balbinot

      Para todos que gostam de rock/pop en castellano.

      Anotem:
      ZOÉ (mecicanos) são seus sucessores. Discos recomendados “Música de Fondo” e “Reptilectric”.
      São FABULOSOS !!!;
      LIBIDO, peruanos, excepcionais, principalmente na primeira fase. Discos “Libido”, “Hembra”, “Pop Porn” e “Libido Acústica”. Terão a mais agradável surpresa;
      PATRICIO REY Y SUS REDONDITOS DE RICOTA, argentinos, não existe mais e possui uma legião interminável de fãs. Rock forte, com mistura de sax/guitarras bastante interessante;
      LA OREJA DE VAN GOGH, espanhois, principalmente nos tempos da cantora Amaia Montero. Discos recomendados: “Díle al Sol”, “El Viaje de Copperport”, “Lo que te Conté Mientras te Hacías la Dormida” e “Guapa”. depois, com a nova cantora, um que recomendo é “A las Cinco en el Astoria”.

      Confiram que eu GARANTO !!!

  • Valdo Balbinot

    Eleita recentemente como a melhor banda de rock de todos os tempos, eles foram revolucionários. os conheci no Chile, depois de ter sido iniciado por Charly García e Vírus. Modernos, progressivos, furiosos e também melódicos. Liderados pela guitarra e voz de Gustavo Cerati, que paralelamente (início da década de 90) iniciou fantástica carreira solista, Se dissolveram em 1997 fazendo uma gira pelas Américas, na turnê “El Último Concierto” e retornaram dez anos depois com outra super-gira “Me Verás Volver” de 21 concertos e mais de um milhão e cem mil espectadores. Lotaram o Monumental de Nuñez em SEIS oportunidades durante este retorno. Qual banda daqui chegaria a seus pés, absolutamente NENHUMA. Cerati prosseguiu sua carreira, editando discos fabulosos, um melhor que o outro, acumulando Grammys Latinos em diversas categorias, especialmente ‘melhor canção’ duas vezes, com ‘Crímen’ e ‘Dèja Vu’. No último concerto de apresentação do disco “Fuerza Natural” (excelente tb), em Caracas, sofreu um AVC no camarim que o deixou em coma até os dias de hoje. Neste 15 de maio completamos 4 anos sem um GÊNIO. Lamentável e triste para quem o tem, há muito tempo, como grande ÍDOLO..

  • Valdo Balbinot

    Dois reparos na reportagem: a foto promocional de seu último disco não é a citada, que corresponde ao disco “Bocanada” e são QUATRO ANOS SEM CERATI, a banda terminou em 1997 e retornou somente para a gira MVV em 2007.

  • Valdo Balbinot

    Para todos que gostam de rock/pop en castellano.

    Anotem:
    ZOÉ (mecicanos) são seus sucessores. Discos recomendados “Música de Fondo” e “Reptilectric”.
    São FABULOSOS !!!;
    LIBIDO, peruanos, excepcionais, principalmente na primeira fase. Discos “Libido”, “Hembra”, “Pop Porn” e “Libido Acústica”. Terão a mais agradável surpresa;
    PATRICIO REY Y SUS REDONDITOS DE RICOTA, argentinos, não existe mais e possui uma legião interminável de fãs. Rock forte, com mistura de sax/guitarras bastante interessante;
    LA OREJA DE VAN GOGH, espanhois, principalmente nos tempos da cantora Amaia Montero. Discos recomendados: “Díle al Sol”, “El Viaje de Copperport”, “Lo que te Conté Mientras te Hacías la Dormida” e “Guapa”. depois, com a nova cantora, um que recomendo é “A las Cinco en el Astoria”.

    Confiram que eu GARANTO !!!

  • Dé Palmeira

    As informações estão incorretas.
    O Soda Stereo se separou em 1997. Voltou em 2007 pra fazer uma tour, mas sem intenção de voltar.

    O Cerati seguiu carreira solo (muito bem sucedida) e teve o AVC, na Venezuela. Está internado até hoje, mas a banda já estava desfeita.

    São 4 anos sem Cerati na verdade.

    • Valdo Balbinot

      Foi exatamente isso que postei acima, Dé palmeira. Com o acréscimo de que o cartaz promocional NÃO é o divulgado, que corresponde ao disco “Bocanada” e a gira que estava fazendo era a de lançamento de seu último (e excelente) CD “Fuerza Natural”.

    • Valdo Balbinot

      Foi exatamente isso que postei acima, Dé Palmeira.

  • Sérgio

    Adorei do respeito e dos bons comentários feitos por todos os que conhecem alguma coisa de Cerati e de Soda Stereo. Acho que o Brasil também tem grandes músicos e sao sempre levados em conta pelos músicos argentinos. Sou argentino e sento uma grande saudade de Cerati. Para aqueles que gostam da sua música, saibam que seu grande mestre foi Luis Alberto Spinetta, que infelizmente morreu há dois anos. (aqui falamos “saiu de turnê” quando um artista morre). Recomendo alguns “covers” de Spinetta feitos por Cerati. “Bajan” (Pescado Rabioso) “Los libros de la buena memória” (Invisible) e un trecho de “Cementerio club” (Pescado Rabioso) que aparece em “Té para tres” acústico MTV.

  • Latino Hasta Siempre

    Viva a América Latina unida!

  • Rosana

    Para quem tem interesse em conhece a boa e diversificada música que se faz na América Latina ( sem clichês e estereótipos) indico o programa de rádio: http://www.latitudeslatinas.com

  • Gabriela, Uruguay

    Lamentablemente la barrera del idioma y las rivalidades entre argentinos y brasileros no han permitido que la música trascienda las fronteras. Yo personalmente soy fan de paralamas y legiao, así como me gusta mucho el rock argentino. Paralamas fue la primer banda en romper la brecha y largarse hacia afuera de Brasil y lograron tener mucho éxito. También acá en Uruguay, a pesar de ser un país chico, hay cosas interesantes como la Vela o No Te Va Gustar. Creo que hoy en día q estamos contaminados de tanta basura musical hay q animarse a explorar nuevas cosas y poder retroalimentarnos culturalmente.

    • Shidarta

      Muy bien muchacha!!!Un abraço de um fronteiriço. Desde Uruguaiana/RS.

  • Jeferson

    Para quem quiser ouvir outras bandas recomendo No Te Va Gustar (Uruguai) muito boa e Chancho em piedra
    (Chile) tambem muito boa, tem o som inspirado no Red Hot Chili peppers.

  • Eduardo Vicente

    Soda Stereo é a maior banda de rock da América do Sul, simples assim… brasileiro é realmente um povo engraçado, valoriza um monte de lixo americano/europeu e ignora completamente o que é produzido em seu próprio continente.
    Gustavo Cerati além de um tremendo compositor, cantava muito bem e tocava guitarra como poucos! Zeta e Charly também são excelentes músicos, e junto a Cerati funcionavam muito bem em apresentações ao vivo!
    Eu conheci a banda em 1997 quando ainda tínhamos a MTV Latino na tv a cabo, e desde então passei a consumir tudo que a banda tinha lançado. #CeratiEterno

  • Pingback: Soda Stereo, o rock argentino e a música latino-americana | Ça ra vá()