Um outro Francisco

A esta altura, já não são poucos os que veem em Francisco uma renovação na Igreja Católica, mais voltada para valores progressistas e flertando com a Teologia da Libertação. Uma instituição que, desde a chegada do argentino, em 2013, passou a falar em combate à miséria, em questionar o consumismo desenfreado, em defender o meio ambiente, em respeito aos homossexuais.

Francisco caminha em direção ao púlpito onde faria seu discurso, na Assembleia das Nações Unidas (Foto: ONU)

Francisco caminha em direção ao púlpito onde faria seu discurso, na Assembleia das Nações Unidas (foto: ONU)

O argentino Jorge Bergoglio impôs, nestes dois anos, um estilo que, por um lado, vem incomodando os conservadores que alabavam seus dois antecessores anticomunistas, e por outro, surpreende positivamente até mesmo alguns ateus, e corações de esquerda, incluindo alguns que começaram resistentes, mas que aos poucos foram cedendo, diante das palavras e gestos do sumo pontífice.

As viagens à Bolívia, em julho, e à Cuba, em setembro, mostraram um Francisco que parecia realmente ter uma afinidade com o socialismo, aproximando-se de Evo Morales e Fidel Castro, recebendo uma réplica da Cruz de Espinal, símbolo de um setor da Igreja que lutou contra a opressão das ditaduras que instalaram o neoliberalismo no continente, entre os Anos 70 e 90.

Porém, esta semana, um outro Francisco apareceu no Chile. Uma declaração que foi dada em maio, mas que se conheceu somente há poucos dias. Demorou para repercutir, porque alguns duvidaram do conteúdo do áudio divulgado, tão diferente do papa que parecia ser até então. Depois, quando apareceu o vídeo que acompanhava o áudio, não restou dúvidas no país sobre a veracidade do que ele disse, mas se multiplicaram as perguntas sobre sua posição política, tanto quanto o pão e os peixes.

O que disse Francisco? Chamou os fiéis da cidade de Osorno (no sul do Chile) de tontos, e influenciados “pelos esquerdinhas”, termo usado por ele para qualificar um grupo acusado de organizar manifestações contra a nominação do novo bispo da cidade, acusado de cumplicidade em um escândalo sexual.

Francisco cumprimenta Juan Barros, em visita do padre chileno ao Vaticano (Foto: The Clinic Online)

Francisco cumprimenta Juan Barros, em visita do padre chileno ao Vaticano (foto: The Clinic Online)

Claro que vale explicar o contexto, que também semeia mais dúvidas sobre as opiniões do papa. Em janeiro deste ano, a Igreja Católica chilena nomeou o padre Juan Barros como bispo da cidade de Osorno, uma das mais importantes do lado chileno da Patagônia. A comunidade religiosa da região rejeitou fortemente essa designação, não por se tratar de um sacerdote conservador – nesse sentido, está de acordo com tendência política que historicamente se impõe no local –, mas sim pelo fato de ser ligado a Fernando Karadima, religioso que protagonizou o maior escândalo sexual da Igreja Católica no Chile.

Fernando Karadima foi um dos religiosos que simbolizou o apoio da Igreja Católica à ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), chegando ao ponto de colaborar com integrantes do grupo terrorista de extrema direita Patria y Libertad, que realizou atentados contra o governo de Salvador Allende. Em 2004, ele foi acusado de acosso e abuso sexual por três de seus colaboradores. Em 2011, o Vaticano declarou Karadima culpado das acusações, e o suspendeu para sempre de suas funções, sem direito à apelação – a decisão levou os acusadores a apresentar a denúncia na Suprema Corte, o caso ainda está em tramitação. O padre Juan Barros era um dos religiosos mais próximos de Karadima e, segundo os responsáveis pela acusação, era quem agia para encobrir os abusos realizados por ele.

Juan Barros foi rejeitado pela comunidade religiosa de Osorno desde o dia de sua chegada, com pessoas protestando com balões negros em sua primeira missa na cidade, no dia 21 de março. Posteriormente, o bispo passou a solicitar segurança policial reforçada nas cerimônias.

Mas o que levantou as dúvidas no Chile não foi somente o apoio papal a uma pessoa apontada como cúmplice de abuso sexual – em contradição com uma postura de limpar a instituição dos escândalos dessa natureza – e sim as palavras que ele utilizou. Veja aqui o vídeo com as palavras de Francisco:

Em entrevista para outro canal de televisão chileno – o estatal TVN –, o padre jesuíta chileno Felipe Berríos, considerado um dos mais próximos de Francisco no país, defendeu o papa: “foi um erro, que tenho certeza que ele reconhecerá e se arrependerá, porque não serve para definir quem ele é, e por isso eu acho que ele pedirá desculpas por isso”.

Fernando Karadima (Foto: El Mercurio)

Fernando Karadima (foto: El Mercurio)

Porém, não essa não é a primeira contradição de Francisco nas últimas semanas. Durante sua visita aos Estados Unidos, no final de setembro, o sumo pontífice criticou as leis em favor do casamento de homossexuais durante seu discurso na ONU, dizendo que “impõem modelos de vida anormais e irresponsáveis”, e depois apoiou a escrivã estadunidense Kim Davis, que foi presa por se recusar a oficializar um matrimônio entre dois homens.

No dia anterior ao encontro com ela, o papa recebeu a visita de Yayo Grassi, um velho amigo argentino que é homossexual, e que foi até o encontro acompanhado do seu namorado – segundo seu relato, o Francisco lhe disse, durante a reunião, que em seu trabalho “não há espaço para a homofobia”. Há dois anos, o papa disse, em entrevista a meios brasileiros que “se uma pessoa é gay e busca o apoio do Senhor, quem sou eu para julgá-la?”.

  • kerwson lisi

    O comunismo e o islamismo são ameaças fatais para o catolicismo e ao mundo civilizado, e este Papa imbecil fortalece os dois.O primeiro quer enforcar o último padre nas tripas do último capitalista, e o segundo, quer apenas matar a todos pq nos acham infiéis…o comunismo engana, mais não consegue se manter, pq não se sustenta quanto opção viavelmente econômica, precisa de um capitalista para lhe financiar, já o islamismo, turbinado pelo dinheiro do petróleo, leva sua doutrina insana, brutal e medieval, infiltrando países com cara de bonzinho, porém completamente mau e assassino.Enquanto aqui pede compreensão para sua cultura, nas suas regiões tradicionais de origem exerce controle violento e mata a qualquer um que ouse o mínimo vacilo, assim, erguem suas nefastas mesquitas aqui mas jamais permitiria que se construíssem igrejas cristãs por lá, então acho que por direito de reciprocidade se não nos querem lá, que não se permitam que se estabeleçam aqui.Mas este Papa idiota acha que temos que recebe-los de braços aberto…vade retrum satanás!

    • Roberto

      Filho, vá estudar…. Pare de repetir o que escuta na cozinha de casa….

      • kerwson lisi

        Para vc que é um orgânico servo de Gramsci, que trabalha para estabelecer a tão sonhada hegemonia política do socialismo assassino, antidemocrático e falido, devo dizer que estudo permanentemente, e que o meu memorial intelectual é seguramente maior que o seu, digo até pela minha idade, que é muito maior mesmo…não preciso dos seus conselhos e muito menos da sua arrogância de achar que pode mandar alguém estudar quando se é uma bitolado da esquerda caviar, ou quem sabe 51, principalmente quando esta pessoa tem títulos positivamente muito acima dos seus.

    • Francisco Martins

      vc deve ser da tfp ou da opus dei, já se esqueceu de qtos a inquisição católica matou, imbecil?

      • kerwson lisi

        Vc falou matou, verbo está no passado, o mundo civilizou-se e o cristianismo acompanhou e se esforça ainda para acompanha-lo, já o islã vive na idade média, seus costumes são bárbaros, vivem se matando e matando todos.As mulheres são tratadas quanto animais, não podem estudar e são vendidas até em mercados, e ainda querem justificar que é cultural, que absurdo! Os índios brasileiros fazem infanticídio e nem por ser cultural devemos apoiar este comportamento abominável, em Papua Nova Guiné os aborígens são antropófagos, e nem por isto aceitamos…vai agora à Arábia Saudita, abre uma bíblia numa praça e faz uma oração para ver o que te acontecerá…muçulmano só tem dois tipos, os que apoiam a violência escancarados, e aqueles que o fazem por debaixo do pano, esperem e verão o que estes animais irão fazer aqui no nosso país.

        • Lemos Naor

          espero que esteja errado :S

      • Roberto

        Francisco, a inquisição católica (tribunais eclesiásticos), não matou ninguém! Mas a Inquisição “católica” (tribunais civis). Esta sim, matou muitas pessoas. De qualquer modo, estes últimos, são de qualquer forma, filhos da Igreja. E foi justamente pelos os erros desses filhos e não da Igreja. Que no Jubileu da Igreja no ano 2000. O então e saudoso Papa João Paulo II, pediu perdão ao mundo pelo os erros deles. Um fato que ninguém honesto pode discordar é que, nenhum inimigo da Igreja, ATÉ HOJE. Simplesmente não apresenta SEQUER UM documento histórico que comprove essas “milhares de vítimas da inquisição católica”. Ao contrário da Igreja que prova justamente o contrário dessas acusações infundas em seus arquivos NÃO MAIS secretos, abertos recentemente aos historiadores e estudantes de história de todo mundo.

        Conhecidamente, quem infinitamente matou muito mais de que qualquer guerra “religiosa”. Foram os ateus comunistas do século XX em todos os seus regimes totalitários. Quando em nome da defesa de seus dogmas materialistas marxistas de Estado. Pelo o braço pesado do Partido Comunista, assassinaram à sangue frio mais de 100 milhões de pessoas, pelo o simples fato de descordarem de seus ensinamentos impostos à elas. E quem dizem isto não é a Igreja, mas os historiadores modernos.

        • Lemos Naor

          Só não concordamos sobre um fato: o materialismo é apenas comunista. Pelo contrário, o liberalismo econômico teve sua parcela igual de culpa, nas maiores guerras da humanidade (século XIX e XX). Não quero defender comunismo, mas não se esqueça de toda a horda de “ismos” ,travestida de ciência, (darwinismo,determinismo,positivismo,pessimismo,marxismo e liberalismo) utilizada para justificar mortes, eugenia (raça superior), colonialismo, etc. Tudo obra do materialismo ateísta do século xix, fosse liberal, fosse comunista.

        • kerwson lisi

          Parabens pelo reconhecimento dos cem milhoes de assassinatos do comunismo, apelidado eufemisticamente de socialismo, mas foi muito mais que isto, e ainda continua matando.Vc esqueceu de dizer que esta ideologia de marginais tb faliu todos os paises que infectou.Viva o capitalismo meritocrata com livre iniciativa, o estado minimo e laico, a livre iniciativa, o estado de direito democratico com liberdades literalmentes irrestritas….obs, desculpe acentuaccao, to no tablet e tah impossivel.

      • Dnsplmrr

        E você, Francisco, lembra-se? Ou sequer soube em algum momento?
        Pesquise um pouco e você vai ficar surpreso.
        Vou te dar uma dica: sempre que quiser defender o comunismo, deixe o número de vítimas de fora.

        • Dnsplmrr

          Só para deixar claro, também não concordo com o Kerwson.
          Mas comunistas metendo o dedo na cara de outros grupos, acusando-os de violência, sempre me irritam. É muita hipocrisia. Ou ignorância.
          Idealismo é uma droga por conta disso. O cara tem certeza antes de ter noção. Não dá para discutir.

        • Francisco Martins

          rapaz, isso quer dizer que o capitalismo, o cristianismo nuncamataram ninguem, imbecil?

          • Dnsplmrr

            Calma amigo.

            Tire as mão do chão, endireite a coluna, que a gente pode conversar.

            É claro que o capitalismo e o cristianismo mataram um monte de gente.

            A diferença entre nós é que eu acho QUALQUER assassinato repulsivo. Você é mais seletivo.

            Os crimes cometidos em nome de qualquer fé são, para mim, manchas indeléveis na história das religiões. Mas é inegável que o número de vítimas da inquisição, em mais de 300 anos é apenas uma fração muito pequena do número de vítimas do comunismo em menos de 100. Isso não limpa a história da igreja, mas diz alguma coisa sobre o comunismo.

            De capitalismo quem falou foi você. Sou um democrata e se você acredita que a democracia só é possível se acompanhada de um capitalismo selvagem, essa é outra diferença entre nós. Você é quem quer uma ditadura que concorde contigo, não eu. Viva a diferença!

            E mais uma dica, ainda que você se incomode: tente argumentar sem xingar as pessoas. Isso só mostra o quão despreparado para o debate você é. Vai na minha, você pode, com algum esforço, fazer melhor que isso.

            abs.

    • paulo erley

      é sempre assim,falam as “m” da viada e depois vem a velha desculkpa: foi
      fora do contexto, não era o quye queria dizer, me desculpem. Vamos
      parar com esta mania a assumir o que dissemos e pensamos, pois joga-se
      no fogo a diginidade de pessoas, em manchete principal de primeira
      página e depois as desculpas saem perdidos na página funebre. Sempre
      disse ser este papa mais um dos mesmos, pele de corediro sobre os lobo.
      Por qual motivo o ex-papa, que ainda manda, está no vaticano, por qual
      motivo já como primeiro atitude não liberrou as mulheres para terem
      direito a voto na escolha papal, etc, etc, etc? viva OPUS DEI!!

  • Júnior

    No final, Francisco não passa de um papa que joga nos dois times para se manter adorado por “todos”. Acho um idiotice sem tamanho esse tipinhos católicos “bacanas” reclamarem contra o conservadorismo de sua religião, pois esta tem todo o direito de assim a ser. Em vez de clamarem por mudanças de uma instituição milenar deveriam ou mudar a si mesmos e seguir os preceitos pregados pela religião ou se mandar e viver livremente da forma como acham melhor. De minha parte continuo ateu e rejeitando as bobagens ditas por esse papinha…

    • paulo erley

      é isto aí, concordo.
      é sempre assim,falam as “m” da viada e depois vem a velha desculkpa: foi
      fora do contexto, não era o quye queria dizer, me desculpem. Vamos
      parar com esta mania a assumir o que dissemos e pensamos, pois joga-se
      no fogo a diginidade de pessoas, em manchete principal de primeira
      página e depois as desculpas saem perdidos na página funebre. Sempre
      disse ser este papa mais um dos mesmos, pele de corediro sobre os lobo.
      Por qual motivo o ex-papa, que ainda manda, está no vaticano, por qual
      motivo já como primeiro atitude não liberrou as mulheres para terem
      direito a voto na escolha papal, etc, etc, etc? viva OPUS DEI!!

    • Guilherme

      Só faltou mencionar que a tal “instituição milenar” já se modificou incontáveis vezes ao longo de sua história, alterando suas crenças e seus posicionamentos sobre os mais variados assuntos. Já ouviu falar em purgatório, por exemplo? Não faz muito tempo que os católicos acreditavam na existência disso, mas a posição da Igreja sobre o assunto mudou e hoje ele não mais “existe”.

      • tabajara_music

        É mentira

      • Jonas

        Daí, Guilherme!

        Sou católico e queria apenas esclarecer que a posição da Igreja no tocante ao Purgatório não foi alterada: o Purgatório existe.

        Acredito que alguém que possui um conhecimento equivocado sobre uma matéria fundamental da Doutrina Católica – tal qual a do Purgatório – não tem capacidade para afirmar que “a Igreja modificou incontáveis vezes suas crenças e seus posicionamentos”. Com todo o respeito, não tens bagagem nem para dizer quais são as crenças atuais da Igreja…

        Respeito teu posicionamento, mas acho incorreto um homem criticar minha religião quando possui um conhecimento tão superficial dela.

        Grande abraço e que Deus te abençoe,

        Jonas

        • Cesar Oliveira Jr

          acredito que o equivoco seja sobre ao limbo q era uma crença popular e que foi abolido pela igreja em 2007 no pontificado de Bento XVI no documento “A esperança da salvação das crianças que morrem sem batismo” limbo e purgatorio sao “lugares” com crenças e doutrinas diferentes

          • Jonas

            Daí, caro César!

            Agradeço pela resposta.

            O limbo é resultado de especulações teológicas e nunca foi considerado como parte da Fé. Foi desenvolvido como uma alternativa à doutrina agostiniana de que a criança não batizada iria para o Inferno, apesar de ali sofrer penas suavíssimas.

            Apesar de concordar com a meditação do Papa Bento XVI que apontas, não contemplo no texto o que sustentas: que o limbo foi abolido. Isto fica claro no documento que citastes:

            ” Por conseguinte, além da teoria do limbo (que permanece uma opinião teológica possível), podem haver outros caminhos que integram e salvaguardam os princípios de fé fundados na Escritura: a criação do ser humano em Cristo e a sua vocação à comunhão com Deus; a vontade salvífica universal de Deus; a transmissão e as conseqüências do pecado original; a necessidade da graça para entrar no Reino de Deus e alcançar a visão de Deus; a unicidade e a universalidade da mediação salvífica de Jesus Cristo; e a necessidade do Batismo para a salvação.”

            O que permanece como opinião teológica possível não foi abolido.

            Ademais, no final do documento é dito:

            “A nossa conclusão é que os muitos fatores que acima consideramos oferecem sérias razões teológicas e litúrgicas para esperar que as crianças que morrem sem Batismo serão salvas e poderão gozar da visão beatífica. Sublinhamos que se trata aqui de razões de esperança na oração mais do que de conhecimento certo.”

            Ao não declarar as conclusões do documento como conhecimento certo, Bento XVI ainda permite especulações no sentido da teoria do limbo.

            Enfim, em ambos os sentidos (limbo ou purgatório) o argumento não se sustenta.

            Abraço e que Deus te abençoe,

            Jonas

        • Guilherme

          O purgatório enquanto espaço físico, existente no tempo e no espaço, foi “abolido” pelo Papa Bento XVI, que deu uma conotação espiritual ao que antes se presumia ser um lugar. E um lugar, por definição, tem localização espaço-temporal. Logo, o purgatório, tal como antes se acreditava, não existe segundo a atual interpretação da Igreja.

          • Jonas

            Caro Guilherme,

            A existência do purgatório como espaço físico nunca foi defendida como dado de Fé. Pode, sim, ter se originado de uma especulação de algum teólogo cristão.

            Aliás, da mesma forma que há certas especulações no sentido que sustentas, há muitas no sentido contrário.

            Se puderes, cite a fonte que utilizas para que eu posso verificar.

            Grande abraço,

            Jonas

        • kerwson lisi

          “O purgatório existe”. Como é possível com o conhecimento científico que temos hoje, lamentavelmente de apenas trezentos anos de ciência, justo por causa das interferências draconianas da igreja católica, uma pessoa acreditar num papo furado deste…para mim esse papo de purgatório é uma idiotice sem limite, não gasto um meu tempo numa aberração desta ou em busca da tal salvação. Afe!

          • Jonas

            Daí amigo,

            Quando eu disse “o purgatório existe” entenda-se: “na perspectiva católica o purgatório existe”. Se leres o comentário do amigo acima perceberás que ele tenta apontar incoerências dentro da própria perspectiva católica e por isso foi respondido dentro deste mesmo ponto de vista.

            Ainda, esta possível oposição entre catolicismo e ciência não existe, absolutamente. É uma construção realizada por pessoas avessas ao catolicismo e sustentada por pessoas que nunca conviveram em ambiente católico. Eu, particularmente, sempre fui incentivado a estudar arduamente e a ser um homem bom… Fora do meu âmbito pessoal também não consigo ver esta contradição: ao olhar, por exemplo, ao brasão da Universidade de Oxford, me deparo com a expressão “Dominus Illuminatio mea” (O Senhor é minha Luz), que é o trecho de um Salmo…

            É teu direito achar idiotice… partimos de pressupostos muito distantes. Da mesma forma acho eu idiotice considerar o homem apenas como “um punhado de matéria ambulante regido pelo determinismo de uma Lei Natural”. Da mesma forma acho eu idiotice definir o Amor como uma simples reação química. Da mesma forma acho eu idiotice reduzir o real ao material… As Ciências da Natureza são valiosíssimas, mas explicam apenas um recorte da realidade, não a realidade como um todo. Uma pessoa que define o homem puramente sob o seu aspecto biológico não me parece definir o que é o homem.

            Enfim… dizer que tudo isto é por acaso e vai para lugar nenhum é, para mim, idiotice. Mas respeito tua posição, assim como a dos outros comentaristas.

            Grande abraço e que Deus te ilumine,

            Jonas

  • Lemos Naor

    Achei infeliz as palavras do papa. Ainda assim, o autor omitiu uma parte do que ele havia dito (em Espanhol): “La única acusación contra ese obispo fue desacreditada por la corte judicial”. Isto significa que, diante das provas às quais ele teve acesso, e todo o relatório do processo judicial, ele achou uma injustiça da parte do grupo citado, ainda acusar o bispo.

    Quando a repórter o questionou, ele se mostrou aberto à responder e visivelmente irritado com a injustiça contra o bispo.
    Se o bispo é culpado ou não, eu não sei. Pode até ser culpado, mas ninguém deixaria de defender um amigo ou duvidar de uma acusação contra um parente, até que fosse escancaradamente verídica a acusação.

    Quanto às contradições, acho que se tratam de 2 coisas. Primeiro: defender a escrivã que foi presa foi correto, ninguém pode ser preso por negar um registro de casamento homossexual, seja qual for o motivo, assim como é direito de quem for, ser gay, por motivo que a pessoa quiser.

    Segundo: quem não for um ser humano, que atire a primeira pedra! Todos estão sujeitos a flutuações em suas opiniões, em revisões, equívocos e acertos. Quem nunca refletir e voltar atrás, ou já sabe tudo sobre todos os assuntos, ou é um verdadeiro canalha. Isso, porém, não é contraditório em relação ao combate à pedofilia, uma vez que, se a própria justiça chilena o absolveu das acusações e o Vaticano iniciou um processo de investigação que caçou diversos clérigos pedófilos e acobertadores, não haveria motivo para se queimar por um homem que fosse acobertador. Mas há motivo para defender um inocente quando ele não tiver feito nada!

    • paulo erley

      é sempre assim,falam as “m” da viada e depois vem a velha desculkpa: foi fora do contexto, não era o quye queria dizer, me desculpem. Vamos parar com esta mania a assumir o que dissemos e pensamos, pois joga-se no fogo a diginidade de pessoas, em manchete principal de primeira página e depois as desculpas saem perdidos na página funebre. Sempre disse ser este papa mais um dos mesmos, pele de corediro sobre os lobo. Por qual motivo o ex-papa, que ainda manda, está no vaticano, por qual motivo já como primeiro atitude não liberrou as mulheres para terem direito a voto na escolha papal, etc, etc, etc? viva OPUS DEI!!

      • Lemos Naor

        Dizer você pode o que bem entender, dentro do limite da lei; sua tese ser verdade factual, aí tem que provar, fica meio difícil.
        Infelizmente, pessoas como você, relativistas na veia, querem tocar o terror no diálogo, o ódio é empoderador e deixa qualquer desconhecido, um super star no Disqus. Haja vista sua postura em me criticar por defender a escrivã e não dizer uma só palavra, quando defendo que os gays devem ser respeitados, pois sua sexualidade não influirá em nada no tratamento que darei a eles. Dois pesos e duas medidas. (aproveita e mostra onde a Opus Dei defende repeito aos gays..)

        Enfim, se você é daqueles que nunca voltam atrás em seu discurso, ou você sabe tudo, ou é um canalha.

        Passar bem,

      • Lemos Naor

        É por isso que está ficando cada vez mais insuportável estabelecer diálogo; você vai para a esquerda, caem de pal, você vai para a direita, caem de pal, você vai no cristianismo, caem de pal, você vai no ateísmo, caem de pal.

        Seu relativismo foi a cereja do bolo que mostra a crescente dificuldade em estabelecer diálogo nesta sociedade tão confusa, cheia de opiniões para todos os assuntos, julgamentos e apontamento de dedo (lembra que tem 3 voltados para você) e zero, ZERO de empatia, serenidade e compaixão.

        Por fim, todos podem falar o que quiser (infelizmente), ser isto uma verdade factual é outra história, que depende de fatos, documentos, provas materiais, etc.

    • paulo erley

      defender a escrivã que foi presa, foi correto. Ninguém pode ser preso
      por negar um registro de casamento homossexual,baseado em sua fé.
      —-
      no brasil até pode ser assim, usarmos a fé antes da lei, mas lá a lei, errada ou não, sobrepóe a tua fé. se não desejas assim mude de profissão.

  • Mariae

    Parabenizo pelas bobagens escritas sobre o que absolutamente não possuem a menor compreensão. Começando por tratar o Papa como um chefe de estado moderninho, extraindo conclusões sem fundamento e induzindo os “informados” a um raciocínio privado do real contexto dos fatos. Isso que é opinião exposta com coragem! Sem medo de perder por completo a credibilidade diante de leitores que conhecem o conteúdo verídico de alguma informação. Uma gracinha este texto, vou pendurar na porta da minha geladeira.

  • Rodson Layne

    Respeitar o homossexual não significa apoiar o casamento gay!!!!

    • kerwson lisi

      Respeito totalmente, acho desnecessário o tal casamento pq viver juntos sempre poderam, agora adotar crianças jamais, acho até crime contra as crianças que sofrerão preconceito de toda ordem na sociedade derem criadas por dois veados ou duas lésbicas.

    • Evandro Batista

      Como você pode dizer que respeita uma pessoa se a exclui de direitos básicos? O reconhecimento legal do casamento homoafetivo, o seu registro formal nos termos da lei, serve, dentre outras coisas, para garantir direitos aos quais a população LGBT não teria acesso sem o casamento. Quando se fala em casamento homoafetivo, não se trata do sacramento religioso, mas tão somente do conceito jurídico, da relação legal. Se sua posição é, como diz, “não apoiar o casamento gay”, você deixa “o homossexual” à margem de direitos legais e, portanto, o desrespeita.

      • Rodson Layne

        O comentário que fiz diz respeito à diferença entre respeitar o homossexual e apoiar o casamento gay, uma vez que o texto escrito pelo jornalista critica o papa, misturando as duas coisas…

    • kerwson lisi

      Respeitar é fácil, aceitar a ditadura gay impondo sempre mais todo dia é impossível, a começar pelo fato de os veados tentarem se mostrar quanto autênticas mulheres, ou lésbicas achando ser homens, óbvio que não são e pronto…um pederastro ridículo quanto Laerte vai ao banheiro, pega na rola, e vem dizer que é mulher – internem este louco pervertido.

  • tabajara_music

    Os únicos que vêem Francisco (ou qualquer outro papa) como esquerdista são os que estão acostumados a pinçar suas palavras fora do contexto em que foram ditas. E isso inclui quem precisa vender jornalzinho e bloguinho.

  • Roberto

    Não é outro, é o mesmo Papa, ele é católico, não é liberal, socialista ou anarquista.

  • R a l f !

    Homem que se deita com outro homem irá queimar no inferno, a palavra é clara!!!

    E quem não aceita isso que vire ateu, deixem de tentar achar brexas para justificar seus atos libidinosos satânicos…

    Amém